Motoclubes de mulheres – garantindo o espaço feminino nas pistas

Mulher pode entrar em motoclube? É uma pergunta polêmica, mas elas respondem: Por que não? Se não podem entrar, elas fundam os próprios grupos para se organizar e pilotar juntas. Se depender delas, a associação entre motoclubes e somente o universo masculino é coisa do passado. Depois de muitos anos com motoclubes exclusivos para homens, alguns poucos passaram a ser mistos e, atualmente, as mulheres tomam a frente para criar seus próprios espaços - moto clubes femininos, onde as minas se organizam, viajam, fazem trabalhos filantrópicos e festas para levantar verba.

No Brasil só cresce o número de grupos composto apenas por mulheres. Conversamos com Karina, do grupo Guerreiras MC, que nos conta sobre a sua paixão sobre 2 rodas e a história do motoclube do qual faz parte – e as fotos das viagens são lindas, leia até o final para conferir a galeria de fotos. Compartilhe essa história e ajude mais mulheres a se inspirarem ;)

- Karina valeu por falar com a gente, conta um pouco sobre você, como se tornou motociclista....
Sou Karina, paranaense nascida em uma pequena cidade da região chamada Amaporã – PR, porém fui criada no estado de são Paulo, bem no interiorzinho mesmo. Sou a caçula, e tenho dois irmãos.

“Todas as mulheres que saem do seu comodismo e passam a pilotar já se torna para mim, uma inspiração”

2

 

Minha infância foi toda no sitio, e como estávamos longe da cidade aprendemos a nos “virar” rapidamente, aos 8 anos de idade minha mãe e meu irmão mais velho me incentivaram a aprender a andar de moto, inclusive ele foi meu professor srsrsr

Levei algumas quedas, mas nada demais, levantava e continuava, e assim foi crescendo o amor por duas rodas. Hoje atualmente faço parte de um moto clube feminino, Guerreiras moto clube brasil.

3

- Você pode apresentar rapidamente para quem ainda não conhece, o que é o Guerreiras Moto Clube?

Nosso clube foi fundado no dia 04/04/2014, por duas grandes mulheres Claudia Lane e Néia Godinho, o clube tem como objetivo abrir espaço e reconhecimento da mulher no meio motociclista. Hoje são mais que um clube uma família, temos integrantes em todo o pais, temos nossas diferenças, mas com o mesmo ideal, nosso amor por duas rodas e o sentimento de liberdade.

- Qual o motivo de as guerreiras ser um motoclube apenas de mulheres?

O meio motociclístico os moto clubes a grande maioria é composta apenas de homens, poucos clubes são mistos, e quando são mistos a mulher geralmente não participa das reuniões, não tem voz muito ativa. E como o nosso intuito é ganhar espaço e incentivar outras mulheres, no clube (Guerreiras) os membros são apenas mulheres para dar voz, autonomia e responsabilidades. Até mesmo que quando foi pensado em um moto clube feminino essa era a ideia dar espaço, voz as mulheres para crescermos com igualdade no meio.

- Em quais outras mulheres motociclistas você se inspira?

Todas as mulheres que saem do seu comodismo e passam a pilotar já se torna para mim, uma inspiração, algumas são eternizadas como a Dot Robinson e Linda Dugeau umas das criadoras da organização de mulheres motociclistas Motor Maids.

As fundadoras do meu moto clube, sem sombra de dúvida são minhas inspirações como também a Marcia Reis que é uma das pilotas mais f@da da vida, de simplicidade e atenção invejáveis, que com certeza inspira muitas meninas por aí, não podemos esquecer também da Amanda Pagliari, que mostra a todas nós que podemos sim ter conhecimento sobre vários estilos de moto.

4

- Qual foi o destino mais legal para onde você já foi de moto?

No final do ano de 2018 eu e minhas irmãs Maria Amélia, Maria Cristina, Ivani e Priscila, fizemos uma das viagens mais inesquecíveis, saímos de Maringá - PR e fomos para Florianópolis - SC, você deve perguntar o que tem de mais nessa viagem, mas nosso trajeto foi um tanto ousado, todos nós tínhamos um sonho de conhecer a serra do rio do rastro, e assim fizemos.

Passamos por paisagens de tirar o folego, foram mais de 2.000 mil km, foi sem sombra de dúvida a viagem até o momento que nos eternizou.

5

- O que significa na sua vida ser motociclista e parte de um motoclube só de mulheres?

Fazer parte de um moto clube não é fácil, ainda mais se tratando de 50 mulheres de personalidades fortes, temos nossas diferenças, porem como havia dito anteriormente temos uma mesma paixão e lutamos para ganhar o nosso espaço e incentivar outras mulheres a pegar o seu capacete e sua motocicleta e rodar, em nosso clube tem um diferencial  que particularmente admiro muito, nós não temos  uma cilindrada defina, sim qualquer moto é moto , não importa o modelo, sua cilindrada ou estilo, somos diferentes e isso significa que eu gosto de preto e você pode gostar de rosa , duas rodas ou  até mesmo 3 rodas significa que você tem uma paixão e compartilhamos da mesma.

6

- Tem alguma viagem planejada? Qual o próximo destino?

Na verdade, temos várias viagens eventos programados, temos uma agenda anual, estou com um projeto de ir para Ilha Bela- SP, estou lutando para que esse sonho se realize, já conheço a ilha, mas quero ir de moto, sentir o vento da serra, sentir a brisa do mar.